2010-02-19

Mais Tabaco de Cachimbo

A variadade dos tabacos de cachimbo parece ser infinita.

Temos o sabor base, dado pelo tipo do tabaco - Virginia, Burley, Orientais, Kentuky, etc.
Temos o tipo de cura que é dado a cada um deles, que origina a Latakia, o Perique e o Cavendish.
Temos o casing ou o topping, aromas que são adicionados em maior ou menos quantidade para a obtenção de um aromático.

E temos ainda a forma (ou corte) como um determinado tabaco é disponibilizado:

Crumble Cake
: Basicamente é um pequeno tijolo de tabaco que se desagrega com facilidade apenas com as mãos. Apesar de ser, à primeira vista, semelhante ao Plug em termos de consistência não é nada parecido. O crumble cake está normalmente muito seco enquanto que o plug apresenta-se com frequência bastante húmido. Por observação visual eu diria que o Crumble Cake é obtido comprimindo moderadamente uma mistura, eventualmente com alguma humidade que é deixada secar antes de ser embalado (posso estar errado). O Crumble Cake não tem nada a ver com o Cake de onde são cortados os flake.
Ex: C&D Kajum Kake, C&D Pirate Kake

Curly: É o twist pré-cortado. A máquina que faz isto deve ter alguma coisa de especial, porque os curlys são normalmente mais caros que tudo o resto. Pessoalmente nunca tive oportunidade de experimentar, julgo que não deve fazer muita diferença do twist de onde é cortado.
Ex: Synjeco's Ambleside Curly, GH Curly Cut

Flake, broken flake, ready rubbed: A blend é preparada na forma de Cake e cortada em fatias finas, no caso do Flake este é simplesmente cortado ou dobrado (como nas latas de OGS de 100 g) num formato apropriado para a lata; o broken flake é semelhante mas passa por um processo que fragmenta o flake em flocos mais pequenos e o ready rubbed onde o flake é desfeito (esmiuçado ?) ficando normalmente reduzido a fios relativamente finos com um aspecto mais homogéneo que uma mistura.
Ex: Orlik Golden Sliced, Peterson University Flake

Mixture: É o formato mais conhecido, é normalmente um corte em fita curta de vários tabacos, sendo frequentemente muito facil distinguir os vários tabacos simplesmente pela diferença da cor, são usados por vezes descrições algo estranhas como "Wild cut" que ninguém sabe realmente o que é. Nas misturas tipo inglês é frequente distinguir-se pelo menos 2 castanhos e um mais pequeno preto ou quase preto (a latakia e/ou perique). Em misturas aromáticas é frequente apenas existir casing num dos componentes sendo os outros naturais (exemplo, uma base de virginia, com um pouco de white burley (não aromatizado) e uma certa quantidade de cavendish aromatizado).
Ex: TF Heritage, SG Squadron Leader

Plug: Basicamente é um bocado (250 g) do cake de onde seriam obtidos os flakes. A preparação é feita ou cortando fatias finas que no fundo são um flake (e que pode ser fumado folded ou rubbed) ou cortando pequenos cubos (que, na minha experiência pessoal são praticamente impossíveis de fumar porque se apagam constantemente). Em termos de consistência parece borracha de alta densidade exigindo bastante esforço para se cortar. Ao contrário dos outros formatos não é vendido nem em latas nem em bolsas, vem numa embalagem de papel/plastico metalizado semelhante ao de algumas bolachas, apesar da embalagem ser hermética o plug não é embalado a vacuo.
Ex: SG Grouse-Moor Plug, GH Dark Plug

Shag: É um corte em fita bastante fina e bastante longa, muito semelhante ao tabaco de enrolar (RYO).
Ex: GH Dark Birds Eye, Clan (argh!)

Twist / Rope: É apresentado como um trança de tabaco sendo o exterior coberto por folhas de tabaco bastante similares ás do charuto. Em alguns casos existe um nucleo de Perique. Não conheço nenhum twist com latakia, isto provavelmente é devido ao facto de a latakia ser obtida a partir de tabacos de folha muito curta, o que deve dificultar muito a obtenção de um entrançado homogéneo. Não sei realmente porquê, mas parece que todos os twists têm conteudos altissimos de nicotina. A preparação é feita cortando rodelas que podem ou não ser desfeitas (rubbed) antes de ser colocadas no cachimbo. No Brasil é conhecido por "Fumo de Corda", e pelo que me dizem destina-se tanto a ser fumado no cachimbo como a fazer cigarros, e, não é exactamente um produto groumet.
Ex: SG Black XX, Synjeco's Oxenfisl Twist

Qual o melhor formato ?
É dificil responder sem perguntar, melhor para quê ?
Os mais faceis de usar são a Mixture e o Shag, já em termos de obtenção de um sabor mais complexo eu diria que o Crumble Cake parece ser o ideal, mas se queremos uma cachimbada que vá evoluindo ao longo do tempo, nada melhor que um flake dobrado (folded).

Um comentário:

  1. Hoje em dia não é tão comum encontrar alguém na rua desfrutando de um cachimbo, mas se bem me lembro, ​​anos atrás, quando era criança, via-se mais... e também lembro o cheiro que impregnava o lugar, e eu quero dizer, o lugar. Podia estar o cachimbo a 100 metros... com aquele cheiro muito característico, doce, saboroso, rico em nuances, perfumado ... a memória pode pregar partidas ... depois de tantos anos; mas mais do que um exagero da realidade, sei que esta memória tambem pode ser muito real, e cada uma das nuances que recordo; E é aí que peço a vossa ajuda e conhecimento. Eu falo de uns 35 anos atrás ... Dentro da gama possível de tabacos naquele tempo... talvez entre aromáticos e aromatizados, entre estas duas possibilidades estará talvez aquilo de que me lembro ... gostaria, com os poucos detalhes que dou, lugar Lisboa, ​​data aproximada da década de 70 avançada, aromaticos ou aromatizados, quiçá, será possivel identificar o cheiro da minha memória? Parto sempre da idéia (talvez erradamente) que a variedade de marcas e tipos seria mais restrita... Apelo à memória histórica ...
    Obrigada

    ResponderExcluir